53 anos de Mineirão

Batendo Bola 

José Carlos de Oliveira

jcquerovievr@hotmail.com.br

 

O Mineirão comemorou ontem 53 anos de história e glórias para o futebol mineiro. O estádio foi inaugurado no dia 5 de setembro de 1965, com a disputa de um amistoso entre a Seleção Mineira e o time do River Plate, da Argentina. Diante de 73 mil espectadores, os mineiros venceram por 1 a 0, com gol de Buglê, à época jogador do Atlético.

Redenção 

Depois que o estádio foi inaugurado, na década de 60, o futebol mineiro começou a escrever uma nova história, que hoje é repleta de títulos nacionais e internacionais. Com o Mineirão, o futebol de Minas Gerais conquistou o Brasil e o mundo.

 Reinauguração 

Após a reforma para a Copa de 2014, o Mineirão foi reinaugurado em fevereiro de 2013 e perdeu muito de seu público original, diminuindo sua capacidade pela metade, na 3ª rodada do Campeonato Mineiro daquele ano, quando o Cruzeiro venceu o Atlético por 2 a 1.

Maior público

 O maior público presente em uma partida de futebol, na história do Mineirão, foi registrado em 22 de junho de 1997, no jogo entre Cruzeiro e Villa Nova, de Nova Lima, válido pela final do Campeonato Mineiro. Com um público total de 132.834 pessoas, registrou-se o recorde do estádio e também do estado de Minas Gerais em jogos de futebol. O Cruzeiro venceu por 1 a 0, gol de Marcelo Ramos e sagrou-se campeão.

 Maior vexame 

O Mineirão também foi palco de glórias e do maior vexame da Seleção Brasileira. O aproveitamento de 72% do time canarinho, jogando no estádio, fica em segundo plano, quando confrontado com o maior vexame do Brasil. Foi no estádio que a seleção foi goleada pela Alemanha por 7 a 1, e acabou eliminada da Copa do Mundo de 2014.

A seleção brasileira fez 25 jogos no Mineirão, com 17 vitórias, cinco empates e apenas três derrotas.

 Bayern de Munique

 Mais de 110 mil pagantes lotaram o Mineirão para ver um desfile de craques em 1977. Raul, Nelinho, Piazza, Zé Carlos, Palhinha, Dirceu Lopes e Jairzinho vestiam a camisa azul do Cruzeiro e precisavam vencer o Bayern, com a base da seleção campeã do mundo de 1974: Sepp Maier, Beckenbauer, Müller, Rummenigge e companhia. O primeiro jogo, na Alemanha, havia sido 2 a 0 para os donos da casa.

Os brasileiros não foram bem sucedidos. Maier fechou o gol, e a partida terminou 0 a 0. A tristeza tomou conta do Mineirão e era difícil imaginar que os alemães fariam uma apresentação melhor naquele estádio.

 Diante do Trono 

Mas o dia em que o Mineirão recebeu mais gente não foi numa partida de futebol. O evento que mais reuniu pessoas no Gigante da Pampulha foi num show gospel. Na realidade, a gravação de um álbum. Em 2001, o Diante do Trono, banda liderada por Ana Paula Valadão, levou 210 mil fiéis à Pampulha para gravar o álbum “Preciso de Ti”.

 Duas Libertadores 

Muitas são as partidas que marcaram a história do Mineirão, como o 6 a 2 do Cruzeiro sobre o Santos de Pelé, em 1966, pela Taça Brasil, mas o estádio marca mesmo é a história das maiores conquistas de Cruzeiro e Atlético no futebol sul-americano. Foi no Gigante da Pampulha que a Raposa conquistou o bi da Libertadores, em 1997 — vitória de 1 a 0 sobre Sporting Cristal, gol de Elivélton — e o Atlético foi campeão em 2013, vencendo o Olímpia na disputa de pênaltis, depois de fazer 2 a 0 no tempo normal, com gols de Jô e Leonardo Silva.

 

Comentários
×