309 casos de dengue em uma semana

 

Maria Tereza Oliveira

Divinópolis “ganhou” mais 309 casos confirmados de dengue nesta semana. Mesmo no auge do inverno, semana após semana, centenas de confirmações são divulgadas pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa). Na semana passada, eram 2.341 diagnósticos positivos para a doença, ontem este número pulou para 2.650. Mesmo com as baixas temperaturas e com a Prefeitura realizando limpezas em residências e mutirões, o Aedes aegypti continua fazendo estragos na cidade.

De acordo com as informações da Semusa, até o momento são 4.349 notificações. Além dos 2.650 casos confirmados, 1.394 seguem em análise e outros 305 foram descartados.

Em 2018, apenas 77 registros foram confirmados. Pouco mais da metade de 2019 se passou e os números atuais são 34 vezes maiores.

Sem previsão

O fumacê segue aposentado do arsenal de armas contra a dengue. De acordo com a Prefeitura, não há previsão de quando o Município receberá a substância.

— O fumacê não tem muita utilidade nesta época do ano. Embora os casos continuem surgindo, o pico da doença já passou — justificou.

Segundo o Executivo, o auge seria o período de chuvas e calor, quando o mosquito transmissor se reproduz mais facilmente.

Dentre as principais ações da Semusa está a realização dos mutirões de limpeza. Agentes de saúde recolhem lixos e entulhos acumulados em locais públicos, ambientes que favorecem a proliferação do mosquito.

Ontem, os agentes de saúde realizaram a limpeza de uma residência no bairro São José. Durante o trabalho foram recolhidos lixos e entulhos que lotaram um caminhão. No último sábado, 13, quando aconteceu o mutirão na região, já haviam sido retiradas três caminhonetes de lixo da casa.

O trabalho faz parte das ações promovidas pela equipe da Vigilância em Saúde, com o objetivo de combater a proliferação do mosquito da dengue. Já foram realizados 28 mutirões em toda a cidade em 2019.

Outra medida adotada foi a divisão dos pacientes de acordo com a gravidade dos sintomas apresentados. Ao passar pela unidade de saúde local, a pessoa pode ser tratada ou receber um encaminhamento para receber hidratação, oral e venosa no ambulatório instalado na Policlínica. Pacientes mais graves continuam sendo atendidos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Padre Roberto.

Atualmente, cinco postos de saúde (Estratégia Saúde da Família Jusa Fonseca/Paraíso, Santos Dumont, Candidés, Ermida I e Centro de Saúde Antônio Fonseca) encontram-se sem médicos. Além disso, das 18 vagas do “Mais Médicos” na cidade, dez estão sem profissionais.

2020 na mira

A Prefeitura revelou à reportagem que ações de prevenção para o próximo verão já estão sendo analisadas. A intenção é que para 2020 os casos de dengue sejam drasticamente reduzidos.

 

Comentários
×