Batendo Bola

O Clube Atlético Mineiro completou, nesta segunda-feira, 111 anos de histórias, glórias e conquistas. As comemorações começaram ainda no domingo, quando quase 47 mil torcedores (recorde de público no ano no Mineirão) viram o esquadrão alvinegro derrotar o Tupynambás, por 3 tentos a 1, e se classificar para as semifinais do Módulo I do Campeonato Mineiro, com uma grande festa no Gigante da Pampulha.

 História

 Fundado em 25 de março de 1908 por um grupo de estudantes, o Atlético tem como suas cores tradicionais o preto e o branco. Contudo, o clube teve como primeiro nome Athlético Mineiro Football Club. Seu símbolo e alcunha mais popular é o Galo, mascote oficial desde o final da década de 1930.

Embora tenha atuado em outras modalidades esportivas ao longo dos anos (como no futsal, no qual teve como estrelas os craques Manoel Tobias e Falcão, dois dos maiores jogadores do mundo), suas principais conquistas foram mesmo alcançadas com o futebol.

O clube é o maior campeão do estado de Minas Gerais, com 44 títulos do Campeonato Mineiro, além de ser o maior vencedor do Clássico Mineiro, com uma grande vantagem contra seu rival, o Cruzeiro.

Em nível nacional, o Atlético foi Campeão Brasileiro uma vez, em 1971, e conquistou outros três títulos nacionais oficiais: a Copa dos Campeões (FBF) em 1937, a Copa dos Campeões (CBD) em 1978, e a Copa do Brasil, em 2014.

Na esfera internacional, possui quatro títulos oficiais: uma Copa Libertadores da América, duas Copas Conmebol e uma Recopa Sul-Americana.

Outro grande feito festejado pela torcida do Atlético é o de o time ser, junto ao Dublin-URU, Santa Cruz, Arsenal-ING, e do Flamengo (Rio de Janeiro), um dos 5 únicos clubes do mundo que já venceram a Seleção Brasileira de Futebol.

 Volta ao Mineirão

 O Galo celebra seus 111 anos com a volta ao Gigante da Pampulha, depois de anos mandando seus jogos na Arena Independência, e já começa a nova fase quebrando o recorde de público no ano do estádio.

 Grandes públicos

 Já foram três jogos no Mineirão como mandante em 2019. A média de público é de 42.945. O recorde do estádio na temporada foi registrado pelo Atlético, em confronto que marcou a classificação do time para a semifinal do Campeonato Mineiro. O Alvinegro promoveu a partida como a festa de aniversário de 111 anos, com shows e promoção de cerveja. O resultado: foram 46.924 pessoas no Gigante da Pampulha.

  Vexame em amistosos caça-níqueis

 Em termos de seleção brasileira, comandada pelo gaúcho Tite, a análise da história é: não há nada que não possa piorar, porque buscar soluções para a ruindade do escrete canarinho não faz parte dos planos de ‘fessor Tite’.

 Empate amargo

 Na tarde de sábado, quem assistiu o amistoso contra o Panamá, em Portugal, viu que o fundo do poço está logo ali para o time do Tite. Se empatar com um país da América do Norte já seria vexame pelo próprio resultado do jogo, fazer isto jogando nada, bola nenhuma, é para matar o torcedor de raiva.

 Mudanças

 Hoje, a seleção do Tite vai encarar a República Checa, em Praga, com uma formação bem diferente da que apenas empatou com o Panamá, no sábado. Ontem, o treinador comandou trabalho em que confirmou a mudança de toda a defesa, além de ter sacado o volante Arthur da formação titular.

Tendo Casemiro como capitão, o Brasil vai entrar em campo às 16h45 (horário de Brasília), na Eden Arena, com a seguinte escalação: Alisson; Danilo, Marquinhos, Thiago Silva e Alex Sandro; Casemiro; Allan, Lucas Paquetá, Philippe Coutinho e Richarlison; Roberto Firmino.

Comentários
×