'Vamos ter mais mortes na cidade em função do Covid-19', diz diretora da Vigilância em Saúde de Divinópolis

Paulo Vitor Souza

A Secretaria de Saúde (Semusa), em coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira, 9, esclareceu as últimas informações acerca do surto de coronavírus na cidade. O secretário de saúde, Amarildo Sousa, confirmou as duas mortes ocorridas no Hospital Santa Mônica na noite desta quarta-feira, 8. Uma médica oftalmologista de 47 anos e uma senhora de 81 anos, residente de Nova Serrana, foram as duas primeiras vítimas fatais da doença.

A diretora da Vigilância em Saúde de Divinópolis, Janice Soares, alertou para a necessidade de manutenção do isolamento social. Segundo ela, a população precisa se conscientizar de que não é somente os grupos de risco que vão precisar de internação.

— Muitas pessoas mais jovens, que não têm problemas de saúde, podem sim precisar da internação, por isso chamamos a atenção para a questão da sobrecarga hospitalar. Muitas dessas pessoas que estão passeando nas ruas, podem precisar de internação.  Quando as pessoas vão para as ruas, o esforço dos demais que fecharam as portas do seu comércio, que estão em casa deixando de ganhar seu dinheiro do dia, o esforço destas pessoas vai cair por terra, se todo mundo começar a ir para as ruas.  (...) A atitude de um pode ocasionar um desastre hospitalar de um grande número de pessoas, isso tem que ficar claro. Por isso falamos que o isolamento vertical, do ponto de vista técnico de Divinópolis não é eficaz, nós temos que fazer um isolmento horizontal, porque várias pessoas vão precisar ser hospitalizadas, idosas ou não, explicou Janice Soares.

A direto da Vigilância em Saúde também chamou a atenção para os velórios na cidade e

— Infelizmente, não queremos alarmar, mas é o que vai acontecer, é um fato. Vamos ter mais óbitos na cidade em função do covid-19. Hoje são permitidos até dez pessoas dentro da sala do velório. A gente entende a necessidade do velório, mas vamos reforçar para as pessoas ficarem dentro de seus carros. A gente corre um risco enorme de transmitir o vírus até mesmo nos velórios. Por isso apenas os parentes próximos poderão estar presentes, disse.

 

Comentários
×