Árvores em risco de queda são ameaça à segurança, dizem vereadores

Maria Tereza Oliveira 

O temporal de segunda-feira, 15, gerou vários transtornos em Divinópolis. O assunto foi pauta na reunião da Câmara de ontem, onde vereadores destacaram os problemas causados pelas quedas de árvores.

Janete Aparecida (PSD) propôs ao setor competente da Prefeitura que avalie árvores em toda cidade. Ela mostrou fotos de algumas que estão secas e destacou que elas precisam ser retiradas para a garantia da segurança.

Em entrevista ao Agora, a vereadora disse que essa época do ano é típica de temporais.

— A tempestade vem acompanhada de vento. Se vier outra chuva como a de segunda, vamos ter prejuízos ainda maiores — disse.

Janete destacou que não foram apenas árvores secas arrancadas no temporal.

— São árvores que estão verdes e que aparentemente estão bonitas, mas suas raízes estão totalmente superficiais. Tem de ser revisto através da Secretaria de Meio Ambiente qual a situação de cada árvore e fazer a retirada das que não são seguras — argumentou.

Ela lembrou que quedas de árvores decorrentes da tempestade trouxeram prejuízos materiais, pois danificaram residências e veículos.

— Mas o que mais me preocupa são possíveis prejuízos à vida. É preciso regularizar esta situação o mais rápido possível — pediu. 

Burocracia 

Adair Otaviano (MDB) fez críticas ao secretário de meio ambiente. O vereador disse que a secretaria está criando dificuldades para realizar os cortes de árvores.

— Se esta situação continuar assim, no futuro vamos ter de pedir para os moradores cortarem as árvores com machado, para não serem tão prejudicados — previu.

Renato Ferreira (PSDB) também falou no assunto. Disse que a cidade precisa de um projeto de arborização com replantio e que priorize a segurança do cidadão.

Segundo ele, é preciso fazer um trabalho de prevenção e avaliar as árvores que estão com grave risco.

— As medidas são para que não se repita o que aconteceu na segunda. Foi só o início. Com o verão, pode piorar. As árvores danificaram postes elétricos e carros, dentre outras coisas, mas a maior preocupação é com a segurança das pessoas — acrescentou.

Ele disse caso a situação não seja resolvida, trará inúmeros riscos à população.

Prefeitura 

Na manhã de ontem a Prefeitura disponibilizou 90 homens da Secretaria de Operações Urbanas para trabalharem em cinco caminhões na retirada de árvores e galhas caídas nas ruas.

De acordo com o agente da Defesa Civil, Gilberto Gonçalves, 27 árvores caíram, além de dezenas de galhas e partes de árvores.

Em nota, a Administração disse que durante as chuvas, as equipes da Semop e Defesa Civil, em parceria com o Corpo de Bombeiros, se deslocaram aos pontos mais críticos.

Além das árvores caídas, foram verificados alagamentos pontuais, devido ao volume de água, nas avenidas JK e próximo à ponte do Niterói, mas que reduziram conforme a chuva foi se dissipando.

A Prefeitura ainda não se manifestou sobre novas ações preventivas para evitar a queda de mais árvore.

Comentários
×