‘O Circo das Ilusões’ será na próxima semana

 

Jorge Guimarães

O Estrela do Oeste Clube completa, este ano, seu 64º aniversário. Celebrando sua ilustre história na área do desenvolvimento cultural, oferece ao público o espetáculo ‘O Circo das Ilusões’, dirigido por Neli Macaia e realizado pela Associação Dramágico de Teatro.

O espetáculo, realizado com alunos do Centro de Estudo do Teatro, é a teatralização de poemas de grandes autores da literatura universal, como: Pablo Neruda, Adélia Prado, Robert Frost, Fernando Pessoa, Herbert Herder, Victor Hugo, Paul Verlaine, Arthur Rimbaud e Maiakoviski, em um circo e seus personagens. A peça foi apresentada em diversas sessões no Teatro Gravatá e cidades de Minas, sempre com sessões lotadas. O espetáculo foi elogiado na Festa Literária de Divinópolis (Flid), que teve com o evento, seu melhor encerramento. Os poemas escolhidos para este espetáculo são simbólicos.

Diretor

Neli Macaia iniciou seus trabalhos no teatro na década de 1980. Participou de diversos espetáculos, entre eles, , ‘O Assassinato na Catedral’ de T. S. Eliot dirigido por Oswaldo André. Estreou na direção em ‘Laus- Limites e Desejos’. O espetáculo chocou o público na época, mas recebeu o uma premiação: O Troféu Theatron em 1991. Paralelo ao seu trabalho com citotécnico, fez parte do Chorus Exultate Voces por 13 anos. Em 1994, dirigiu a primeira versão de ‘O Circo das Ilusões’ com o Grupo Teatral O Cínicos, já extinto. O espetáculo fez sucesso. A coletânea de poemas, criado por Macaia, ganhou forma pela primeira vez com Evandro Rocha no elenco, com o Grupo Teatral Os Cínicos, já extinto.

Descontente com o pretenso academicismo dos participantes acabou saindo do grupo, com outros dissidentes. Ao lado de Cláudia Oliveira e Sérgio Rezende Costa foi criada a Dramágico Cia. de Teatro. O primeiro nome proposto seria ‘O Pequeno Grande Circo dos Dissidentes do Himalaia’, nome relembrando em cena de ‘O Circo das Ilusões’. Já em 1993, criaram a Dramágico Cia. de Teatro. Com a Dramágico fez inúmeros espetáculos: ‘Alice-de Lewis Carrol, Emoções Concretas de Arnaldo Antunes’.

Em 1999, Valério Peguini bateu a sua porta. A Cia já não existia. Nunca mais pararam de trabalhar juntos. Fizeram ‘Pra Tudo se Acabar na Quarta-Feira’ com a poesia de Vinícius de Moraes, ‘Chaplin- Vero Semelhança e Asas da Quimera’ de Grabriel Garcia Marquez.  Nesse íterim, Valério Peguini foi trabalhar no Teatro Oficina. Neli Macaia, seguiu os trabalhos musicais com o grupo Os Alkimixtas, paralelos aos de música. Dirigiu ‘Os Gnomos de Gnu’ de Humberto Eco, ‘Minutos Antes do Fim’ baseado na obra de Nelson Rodrigues e Sapo Vira Rei Vira Sapo de Ruth Rocha. ‘A direção de O Circo das Ilusões’ é corajosa. Nada no espetáculo é convencional.

Intenção

Segundo o produtor Valério Peguini, a intenção é tão somente ilustrar a coerência da Associação com a política geral do Estrela do Oeste.

— Política de promoção do bem-estar social no sentido mais amplo, que ultrapassa os indicadores quantificáveis de qualidade de vida para acrescê-los de outros estágios, como aquele representado pela ideia de desenvolvimento cultural —detalhou.  

O elenco conta com cerca de 17 pessoas.

Peça

A apresentação será no próximo sábado, 3, às 20h, no salão nobre do Estrela. Convites na Boutique do Livro ou na Secretaria do EOC.

 Informações pelo 8846 8364.

 

 

Comentários
×