Ânimos entre vereador e líder comunitário se acalmam e Dr. Delano não falta a serviço em posto de saúde

Ricardo Welbert 

O vereador Dr. Delano (MDB), que também é médico no posto do bairro Bom Pastor, trabalhou normalmente ontem. A informação foi confirmada ao Agora pela Secretaria de Saúde. Um dia antes o profissional afirmou que não voltaria ao local caso o líder comunitário Carlos Eduardo, que criticou o serviço na tribuna da Câmara, não se retratasse.

Segundo a assessoria de Delano, logo após usar a tribuna, Carlos esperou por Delano para pedir desculpas a ele pelo que disse. Porém, a reunião legislativa demorou mais que o normal, pois precisou ser interrompida para o debate interno de um projeto em pauta. Devido a esse atraso, o tribuno precisou ir embora.

Porém, ainda segundo a assessoria do vereador, Carlos passou no gabinete do vereador e disse que não teve a intenção de magoar a ele e nem aos demais funcionários do posto de saúde ao usar a tribuna.

— Ele nos disse que só havia ouvido falar de algumas críticas, mas não direcionadas a ninguém. Delano trabalhou hoje normalmente. Afinal, a população não podia sair lesada por um fala irresponsável de um líder comunitário — diz um chefe de gabinete. 

Entenda o caso 

A tribuna foi usada por Carlos Eduardo, que se apresentou como presidente da Associação de Moradores do bairro Jardim das Oliveiras. Ele reclamou do fato de a região dele não ter posto de saúde e a população precisar ir à unidade do Bom Pastor, ao qual ele fez várias críticas relacionadas ao atendimento.

Instantes após o pronunciamento do cidadão, Dr. Delano ocupou a tribuna para seu pronunciamento. Ele recebeu as críticas e disse que o se o presidente de bairro não retornasse à tribuna ainda ontem para se retratar, a partir de hoje não compareceria para trabalhar no posto de saúde.

— Isso que ele disse é falta de serviço! Exijo que ele se retrate aqui na tribuna hoje ainda. Se ele não fizer isso, a partir de amanhã eu não serei mais médico no posto do Bom Pastor — declarou Delano.

Assista ao pronunciamento

Logo o pronunciamento, a reportagem do Agora perguntou ao vereador se ele concorda em deixar de prestar um serviço público para o qual ele é pago com serviço público só porque foi criticado por um usuário do mesmo serviço público. O vereador não quis conceder entrevista, mas confirmou a decisão.

— Podem colocar [no jornal] que eu não quis gravar entrevista. Mas, a partir de amanhã, se não tiver retratação, não irei ao posto — disse Delano enquanto tentava retornar ao plenário.

A reportagem explicou ao vereador que o regimento interno da Câmara não permite que o tribuno volte à tribuna no mesmo dia.

— Sim, mas ele pode pedir desculpa na rede social ou então vir aqui na porta. Eu estou aqui. Estou tão acessível! Bater ali e falar com todos os vereadores que ele esteve errado. Que ele criou da cabeça dele e por isso pede desculpas. Mas se não quiser, tudo bem. Assim como ele tem o livre arbítrio [de não pedir desculpas], eu também tenho o de me sentir constrangido. Até ele não pedir desculpas, não volto ao posto — declarou.

Perguntado sobre a situação de quem precisar do serviço de saúde e não encontrar o médico porque ele não compareceu após ficar chateado com uma crítica, Delano acenou, disse "boa tarde" e entrou novamente no espaço reservado aos vereadores.

Comentários
×