'Marcio Lacerda quer tumultuar ao manter candidatura', diz diretório nacional do PSB

Da Redação

O PSB nacional divulgou nota na manhã desta segunda-feira, 6, se referindo à manutenção da candidatura do ex-prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda ao governo de Minas como um incidente que apenas causa tumulto ao processo eleitoral.

Segundo a Comissão Executiva Nacional, a convenção mineira que definiu pelo nome de Lacerda em Belo Horizonte no sábado foi anulada por unanimidade em Brasília, nesse domingo.

— O PSB lamenta enormemente esses incidentes, que apenas causam tumulto ao processo político-eleitoral e mantém-se firme no propósito de contribuir com eleições seguras, transparentes e democráticas — afirma.

De acordo com o PSB nacional, a "pretensão de candidatura" de Lacerda foi levada ao congresso nacional do partido e os delegados foram unânimes ao considerar nulos tanto o congresso estadual do PSB como  a decisão liminar da direção nacional de suspender a comissão provisória que apoia a candidatura de Lacerda.

O partido afirma que Lacerda teve 30 minutos para fazer sua defesa durante o encontro e nela própria chegou a recuar da candidatura.

— Fomos surpreendidos com a notícia de que Marcio Lacerda voltou a defender a sua candidatura ao governo do estado e manter a judicialização do tema. Essa postura contraditória demonstra falta de transparência com a agremiação, já que o próprio Marcio Lacerda anuiu, diante de seus pares, com a declaração de nulidade do Congresso Estadual que o lançara candidato, bem como desrespeito à autonomia político-partidária do Congresso Nacional, órgão máximo de deliberação do partido — registra a nota.

Na noite desse domingo, depois de participar da convenção nacional que anulou mais uma vez sua candidatura, Lacerda reafirmou pelas redes sociais que pretende concorrer ao governo de Minas.



Leia a íntegra da nota

"Sobre os últimos acontecimentos envolvendo o PSB de Minas Gerais e a pretensão de candidatura de Márcio Lacerda ao governo do Estado, a Comissão Executiva Nacional vem tornar público que:

No Congresso Nacional realizado na data de ontem, dia 05 de agosto de 2018, os delegados nacionais decidiram, À UNANIMIDADE, que o Congresso Estadual de Minas Gerais ocorrido no dia 04 de agosto é nulo em todos os seus termos, referendando-se a decisão liminar da direção nacional de suspensão da comissão provisória que apoiava a candidatura de Marcio Lacerda.

Essa decisão ocorreu após manifestação de mais de 30 minutos do companheiro Marcio Lacerda, no exercício do seu direito constitucional à ampla defesa e contraditório, e recebeu o apoio unânime de todos os delegados nacionais, inclusive do próprio Lacerda, que recuou da pretensão de fazer valer o congresso estadual. Prevaleceram, assim, os interesses nacionais do PSB e suas alianças programáticas nos diversos estados do país.

Contudo, há pouco fomos surpreendidos com a notícia de que Marcio Lacerda voltou a defender a sua candidatura ao governo do estado e manter a judicialização do tema.

Essa postura contraditória demonstra falta de transparência com a agremiação, já que o próprio Márcio Lacerda anuiu, diante de seus pares, com a declaração de nulidade do Congresso Estadual que o lançara candidato, bem como desrespeito à autonomia político-partidária do Congresso Nacional, órgão máximo de deliberação do partido.

O único questionamento jurídico apresentado por Marcio Lacerda era a falta de ampla defesa e contraditório quanto à suspensão da comissão provisória que o apoiava. Além desse argumento ser incorreto, pois o Estatuto do PSB autoriza que a direção nacional adote medidas em caráter liminar, essa alegação perdeu o sentido após o Congresso Nacional, já que Lacerda exerceu amplamente o seu direito de defesa e, após isso, os delegados nacionais democraticamente declaram a nulidade do congresso estadual e referendaram a decisão da direção nacional.

O PSB lamenta enormemente esses incidentes, que apenas causam tumulto ao processo político-eleitoral e mantém-se firme no propósito de contribuir com eleições seguras, transparentes e democráticas.

Comissão Executiva Nacional do Partido Socialista Brasileiro".

Comentários
×