Álcool, um segredo a ser descoberto

Laura Ferreira 

 

Do mesmo modo que Deus, em sua perfeição, deixou seus rastros em tudo o que criou, ele, que deu origem a todos os alimentos deliciosos que há na natureza, como a cana de açúcar, o milho e a mandioca, permitiu que o “encardido” usufruísse de suas variadas artimanhas a fim de seduzir o homem a seus desejos através do que foi confiado de mais valioso ao ser humano: o livre-arbítrio. 

Fico perplexa, pois é sibilino como o mau usa do bom e principalmente como há indivíduos que mesmo reconhecendo uma cilada persistem nela enquanto têm condições de abandoná-la e me comovo diante daqueles que já não conseguem com as próprias forças saírem dela.  

Revestido de beleza, fragrância peculiar, diversos sabores, potências, proveniências e valores. Ele é capaz de causar uma mudança de humor repentina, os acanhados conquistam os palanques, transformam-se em piadistas e excelentes contadores de causos. 

Detentor de um valioso segredo, quem lhe conquista supera a própria morte. Muitos tornaram-se insuportáveis, agressivos, doentes, há aqueles que pereceram o físico e a família as emoções, uma vez que não foram competentes na descoberta e utilização do segredo. 

Em que consiste? O segredo denomina-se limite, cúmplice fiel do demônio. É do limite que ele mais usufrui a fim de conduzir os homens à morte. Não lhe foi dada a capacidade de tirar a vida, portanto emprega-se do deslize alheio para conquistar seu desejo, destruir os que são imagem e semelhança do criador. 

Conscientes do segredo, revelo o detentor de todas as características citadas: seu nome é álcool. Quanto ao limite, qual o seu? 

laurasoaresferreira@hotmail.com 

Comentários