'Janeiro Branco' reforça cuidado com saúde mental e tratamento psiquiátrico

Campanha visa o autocuidado e desmistifica como o sofrimento mental deve ser enfrentado.

Da Redação

Durante todo o mês de janeiro é enaltecido a importância do cuidado com a saúde mental. O “Janeiro Branco” traz um convite para que as pessoas possam pensar mais sobre si, suas emoções e a forma como elas afetam as suas vidas. Em 2021, este período ganha ainda mais importância devido ao coronavírus que acentuou o sofrimento psíquico na população provocado pelo isolamento decretado em função da pandemia.

De acordo com o médico psiquiatra e diretor técnico do Centro Integral de Saúde São Bento Menni, Denison Cavalcante Pinto, a campanha visa conscientizar a população da importância do cuidado com a saúde mental. Criada em 2014, é uma iniciativa que acontece em um período do ano no qual as pessoas estão mais interessadas em propor mudanças em suas vidas.

— Sabemos o quanto é difícil, em muitos casos cuidar dos nossos sentimentos, do nosso estado psíquico e principalmente buscar ajuda para implementar mudanças nessa área. O cuidado com a saúde mental ainda é cercado de muita desinformação e preconceito e nada melhor para enfrentar o preconceito e a desinformação do que o diálogo e a comunicação. Nesse sentido, o Janeiro Branco é uma campanha extremamente oportuna e bem vinda — desta o médico.

Denison ainda destaca que já sabemos que a mente comanda o corpo, e quando não estamos emocionalmente bem, não conseguimos atingir o bem estar; nas formas física, social e espiritual. Assim, é essencial para qualquer pessoa que queira ter qualidade de vida, cuidar da saúde mental.

— Cuidar da saúde mental é algo que abrange diversos níveis de intervenção, desde uma visita ao psiquiatra ou ao psicólogo, passando pelo cuidado com a alimentação ou a prática de uma atividade física regular, até chegar a intervenções mais incisivas naqueles casos mais graves — explica o médico psiquiatra.

O médico reforça que nesse sentido, é possível pensar no tratamento psiquiátrico como um instrumento para alcançar a saúde mental, pois vai desde a sessão de terapia, passando pelas intervenções com medicamentos quando necessário e chega `a internação nas situações de crise em que há maior risco para o paciente e para terceiros.

— O que todo tratamento tem em comum, ou deveria ter, é a busca por intervenções que melhorem a vida psíquica das pessoas possibilitando a elas um melhor contato consigo mesmas e com o mundo a sua volta — enfatiza.

Referência regional

Em Divinópolis, o Centro Integral de Saúde São Bento Menni é uma instituição referência no cuidado da saúde mental em toda região centro oeste mineira. Fundado para prestar assistência a portadores de transtornos mentais, tanto no atendimento de urgência, como no ambulatorial, hospital dia e internação, o centro possui área verde de mais de 11.000 m2 entre jardins e hortas, e de 4.610 m2 de área construída projetada para uma assistência integral, e é coordenado pelas Irmãs Hospitaleiras há 40 anos.
Segundo a coordenadora hospitalar, Marina Diva de Oliveira, o hospital especializado em psiquiatria, saúde mental e dependência química, atende 53 municípios da região, além de pacientes de outras regiões mineiras e de todo país.

Nossa capacidade instalada é de 76 leitos para Psiquiatria, masculinos e femininos, distribuídos em 4 unidades. Trabalhamos com a clínica ampliada e projeto terapêutico singular. Portanto, o tempo de internação depende desta construção e do pilar: paciente, família e equipe assistencial. Em 2020, a média de internação foi de 18 dias. Para os pacientes duais, ou seja, aqueles com transtornos mentais e relação também com dependência química, temos o programa ‘Cuidar’, que prevê um atendimento específico e de média permanência”, explica Marina.

Marina reforça que a Saúde Mental é um eixo da saúde de sustentação porque exerce influência nas formas de vida e de viver. Desta forma, reconhecer e cuidar da saúde mental e bem estar é essencial para uma vida qualificada.

— O tratamento psiquiátrico atravessa tanto a prevenção, da danos, a promoção da saúde mental, o tratamento em si e a reabilitação. É um novo olhar sobre si e sobre a vida, com ações cotidianas que possibilita uma vida mais feliz apesar dos furos e faltas — finaliza.

Comentários
×