“Janeiro Branco” conscientiza para a importância da saúde mental

 

Maria Tereza Oliveira

A rotina estressada do dia a dia e cheia de cobranças torna a saúde mental cada vez mais negligenciada. Com isso, é cada vez mais comum pessoas com doenças mentais. Em contrapartida, mesmo com o aumento nos índices, a prevenção e os cuidados deixam a desejar. Por isso, a campanha “Janeiro Branco” merece atenção. Ela tem como intuito mobilizar a sociedade em favor da saúde mental, mudando a compreensão cercada de tabus sobre ela.

Dentre as doenças mais comuns está a depressão e a ansiedade. E os riscos destas enfermidades, sobretudo a depressão, são colossais. Atualmente, mais pessoas morrem vítimas de suicídio do que por Aids. Isso fez com que fosse criada a campanha “Setembro Amarelo”.

Mas e as outras doenças? Por isso surgiu a necessidade de criar uma campanha para falar sobre a saúde mental em geral.

Visão profissional

O Agora entrevistou o psicólogo Erick Rafael Barbosa, 24, para falar sobre a importância da saúde mental.

Para o psicólogo, é importante que a sociedade volte seu olhar para o cuidado com a saúde mental.

— Vivemos um modelo de sociedade onde as pessoas não estão preparadas para lidar com frustrações. Há um foco exacerbado em nunca errar e, principalmente, que o futuro ocorra conforme planejado. Por isso, é necessário que haja um equilíbrio entre passado, presente e futuro para que o apego ao passado e a ansiedade pelo futuro, não atrapalhe o dia a dia e as esferas de convivência das pessoas — ressaltou.

Erick destacou que a depressão e ansiedade são os transtornos que mais têm surgido de uma forma geral.

— Podemos dizer que a depressão é caracterizada por uma série de sintomas, como: tristeza excessiva, isolamento, culpa, um discurso sem esperança; e na ansiedade pode ocorrer: insônia, inquietação, irritação; mas os sintomas vão muito além do que as pessoas têm em mente, sendo eles físicos e psíquicos. São transtornos muito sérios, que podem levar às atitudes extremas — alertou.

Ele explica que as cobranças contribuem para o aumento destas doenças.

— As pessoas focam muito em conseguir um excelente emprego, pagar suas contas, ter o carro do ano, uma casa perfeita, receber sempre elogios de seu chefe ou de seus clientes... Idealizam uma vida sem erros, sem frustrações, e acabam esquecendo-se de parar, relaxar e executar atividades que geram prazer. Temos que saber diferenciar e separar o horário de trabalho e o horário de descanso — exemplifica.

Apesar de o assunto ter se tornado mais popular, ele ainda é considerado tabu.

— Falta informação à sociedade sobre esses transtornos e o quão sérios eles são. Há uma consequência muito séria que é o socorro tardio a alguém que está sofrendo, como uma pessoa depressiva, que fornece sinais e a família e amigos têm de estar sensíveis a esses comportamentos diferentes, para que não seja tarde e aconteça algo pior, como o suicídio — orientou.

Divinópolis

A Prefeitura de Divinópolis revelou à reportagem, os números de pessoas com transtornos mentais atendidas pelo Município. De acordo com o Executivo, o Serviço de Referência em Saúde Mental (Sersam), atende em média 2,7 mil pessoas por mês.

São priorizados os casos de urgência e emergência, todavia, todos recebem atendimento. O Centro de Atenção Psicossocial 3 (Caps3) atende todas as pessoas, independente da sua condição mental. Qualquer pessoa com distúrbios como ansiedade, por exemplo, podem procurar atendimento no Caps3.

Já para pessoas com problemas de dependência química, o Centro de Atenção Psicossocial de Álcool e Drogas (Caps AD3) é o indicado.

Também existem as residências terapêuticas. Elas abrigam oito pessoas que foram internadas e agora passam pela residência para serem reinseridos na sociedade.

‘Janeiro Branco’

A campanha tem origem mineira. Foi criada em 2014 e, desde então, o mês de janeiro tem colocado a saúde mental como protagonista para que a sociedade seja conscientizada e discuta sobre o tema.

No ano de criação, foram realizadas em Uberlândia palestras em diversos espaços da cidade e uma ampla divulgação do tema online.

A cor, assim como o mês foi escolhida a dedo. Com o início de um novo ano, as pessoas costumam ter a esperança renovada e a sensação de um novo começo, novos planos e novo estilo de vida, por isso janeiro foi escolhido. A cor branca segue a mesma linha de raciocínio do mês e representa uma folha em branco.

A Prefeitura revelou que está estudando ações a serem realizadas durante o mês para a comemoração do “Janeiro Branco”.

 

Comentários
×