‘Dinheiro na saúde tem que ser bem gasto’, diz vereador autor de CPI que investiga São João de Deus

Israel da Farmácia pede transparência na aplicação de emendas parlamentares destinadas ao SUS

Bruno Bueno

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), nomeada na última sexta-feira, 11, pela Câmara Divinópolis para investigar as emendas que são destinadas ao Complexo de Saúde São João de Deus, define os próximos passos. A CPI, proposta pelo vereador Israel da Farmácia (PDT), foi convocada após o deputado federal Léo Motta (PSL) questionar a Prefeitura sobre a destinação de valores enviados pelo parlamentar para o hospital que, por meio da diretora Elis Regina, declarou que está com déficit mensal de R$ 900 mil.

O objetivo, segundo o autor, é esclarecer as dúvidas da população e divulgar o destino do dinheiro que chega. A comissão conta ainda com os vereadores Rodyson do Zé Milton (PV) e Eduardo Azevedo (PSC). O Agora entrevistou o autor da proposta, Israel da Farmácia (PDT). 

Entre os argumentos do vereador, ele afirmou que o “dinheiro na saúde tem que ser bem gasto” e, por isso, o hospital deve prestar esclarecimentos à população.

— Dúvida em questão da saúde em todo lugar tem. Saúde é um buraco sem fundo, tudo que vem para essa área é pouco, por isso o dinheiro que vem tem que ser bem gasto e administrado. Reclamação e dúvidas sempre tem. Baseados nisso, decidimos abrir essa CPI para que tudo seja mais transparente — disse. 

Transparência

Conforme o edil, a proposta da CPI surgiu depois da denúncia do deputado federal Léo Motta (PSL). Israel afirma que a ação só deseja mais transparência do hospital.

— Essa denúncia partiu de um deputado que esteve aqui em Divinópolis. Ele questionou, assim como os vereadores, sobre as emendas parlamentares que chegam à cidade e são destinadas ao hospital São João de Deus. Nós pedimos uma CPI para deixar claro a transparência do centro de saúde — explicou.

Israel também explicou que deseja saber se as emendas parlamentares são destinadas exclusivamente para a área de atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

— O São João Deus é uma entidade filantrópica, onde 60% dos gastos e internações são pelo SUS e 40% para convênios particulares. Queremos saber, primeiramente, se essas emendas estão sendo destinadas para a área SUS. É um direito da população, dos parlamentares que mandam dinheiro e que trará transparência para a Câmara — ressaltou.

Deputado

O parlamentar também disse que se sentiu incomodado com a atitude do deputado federal Léo Motta que afirmou que os vereadores tinham que “tirar a bunda da cadeira” e trabalhar.

— O deputado invadiu nossa cidade e a Prefeitura. Ele é um fiscalizador federal e tem esse direito, mas acredito que fez de um modo agressivo — disse.

Competente

Israel também esclareceu que propôs a CPI para gerar mais transparência, sem a intenção de prejudicar a gestão do hospital, que considera muito competente. 

— Eu tenho certeza que o hospital São João de Deus, sob comando da Elis Regina, tem uma grande gestão e, por isso, tem que mostrar para Divinópolis. Ela pegou a unidade de saúde há oito anos em risco de fechar. Sendo muito competente, ela equilibrou os gastos e colocou o São João de Deus nos trilhos novamente. A gestão vai tirar isso de letra — explicou.

Por fim, o vereador disse que não será presidente da CPI e que a decisão deve partir dos outros membros da comissão. Segundo ele, a investigação está encaminhada.

— A equipe da CPI, composta por outros vereadores, já foi escolhida e formada. O que está decidido é que eu não serei presidente ou relator, apenas membro. A presidência será escolhida nesta semana, onde o Eduardo e o Rodyson vão decidir. Está bem encaminhado — afirmou.

Câmara

O Agora teve acesso ao documento da Câmara Municipal, assinado pelo vereador Eduardo Print Júnior (PSDB), que nomeou a CPI.

Confira a nota na íntegra:

— A Portaria de nº CM-166 de 11 junho de 2021 nomeia Comissão Parlamentar de Inquérito na Câmara Municipal de Divinópolis para investigação dos repasses de recursos de emendas impositivas de autoria do deputado federal Leo Motta, PSL, ao Hospital São João de Deus, formada pelos vereadores Eduardo Azevedo, Israel da Farmácia e Rodyson do Zé Milton — diz a nota.

 

 




Comentários
×