‘Autoridade’

Olá! Que bom nos encontrarmos novamente!

Tenho uma nova pergunta a fazer: Você já conheceu alguém que carregasse autoridade em suas palavras?

Certa ocasião, passando pelas ruas da cidade, me deparei com uma batida policial (blitz). Naquela ocasião, algumas pessoas estavam sendo detidas por aqueles policiais e colocadas num canto, próximo ao muro. Quando chegou uma pessoa, aparentando ser uma autoridade, examinou o relato policial e, voltando-se aos policiais, apontou o dedo para alguns daqueles indivíduos separados no canto do muro e disse: Soltem-nos! Imediatamente, os policiais obedeceram.

Como é incrível a força da palavra de alguém que tem autoridade! A palavra com autoridade é mais que palavra – é poder. Aquele que foi investido de autoridade tem peso diferente no que diz.

No Evangelho segundo Mateus, no capítulo 28, verso 18, algo importante é dito por Jesus: “Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra.” Em algumas traduções do texto a palavra ‘autoridade’ é substituída pela palavra ‘poder’. Isso não é um erro de tradução, mas, sim, uma confirmação. Jesus recebeu autoridade (ou poder) do Pai.

Este é um texto que carrega um sentido muito grande, a meu ver. Jesus está declarando que Deus Pai deu-lhe autoridade. A mesma que o homem havia perdido em razão da queda.

Para mim, a Bíblia apresenta uma narrativa coerente e lógica em relação a isso. O Texto Sagrado começa falando da criação do universo e da terra. Universo esse que é firmado sob leis que mantêm a ordem do mesmo. Após criar o universo, Deus volta seu olhar para a terra. Igualmente, a organiza e estabelece uma ordem de funcionamento (podemos chamar de sustentabilidade natural). Prosseguindo sua organização, Deus cria o homem. Por tempos, anda com ele, ensina-lhe todas as regras e leis da criação e, somente depois, dá ao homem autoridade sobre a obra criada, para governar sobre ela. O homem desobedece tais leis e regras e é subtraído de sua autoridade, ficando refém de sua desobediência às leis basilares do Criador.

Então, vem Jesus de Nazaré, nascido de mulher, vivendo como homem do seu nascimento até a morte de cruz. Em tudo foi provocado à desobediência, mas não desobedeceu. Pelo que, em razão de sua plena obediência, o Pai lhe deu a autoridade que o homem havia perdido em Adão.

A leitura da lógica é clara para mim. A autoridade está ligada à capacidade de respeitar e obedecer às leis. Obediência constitui autoridade. A obediência leva a uma conduta inquestionável. A conduta dá à autoridade constituída o poder. A desobediência destitui do poder e leva ao desrespeito e destitui a autoridade. Por essa razão, tantos homens que detinham autoridade e poder são, hoje, no Brasil e no mundo, razão de descrédito e vergonha. Antes ordenavam, hoje obedecem ordens. Antes tinham poder, hoje estão sob o poder da lei que desobedeceram. Em razão disso, presos em cadeias.

Então, partindo desse princípio, aquela autoridade que deu ordem aos policiais para que soltassem aqueles detidos foi, prontamente, obedecida. Porque tratava-se de um homem que recebeu maior autoridade por sua capacidade de respeitar, honrar e viver sob a égide da lei. Suas palavras eram mais que palavras, eram poder constituído. Sendo ele o primaz da obediência.

Assim também são as palavras de Jesus, o Cristo. Sua obediência, honra e conduta inquestionáveis lhe deram o direito a autoridade nos céus e na terra. Por isso, suas palavras são mais que palavras – são poder.

À semelhança da autoridade sobre os policiais, de que dei relato, Jesus deu ordem de libertação aos cativos e soltura de prisões aos presos (no corpo, na alma e no espírito). E por mais força que tivesse o Maligno, era ele também a Jesus subordinado e não podia desrespeitar tão grande autoridade. Igualmente, a própria natureza, que outrora fora submissa ao homem, mas, tornou-se insubmissa pelo pecado, agora obedece ao Filho de Deus. Quando Jesus ordena, até o mar e a tempestade lhe obedecem. Jesus tem mais que palavras – ele tem toda autoridade. O que torna aquilo que ele fala uma ordem poderosa, que não pode ser desrespeitada.

Bem, caro (a) amigo (a), as palavras de Jesus, que é autoridade suprema, está bem ao alcance de todos nós. Com o mesmo poder, suas palavras ainda governam sobre tudo e libertam do mal. E o universo rende-se à sua ordem.

Jesus tem as palavras que podem abrir as cadeias da alma e do espírito. Ele tem as palavras que podem dar vida ao doente e mesmo depois da morte, dar nova vida. Ele tem as palavras que podem fazer o homem sábio em toda boa obra. Ele tem as palavras da vida eterna. E todas essas palavras estão à disposição daquele que confiar em sua autoridade e crer.

Aquele que tem ‘mais que palavras’, disse: “Se permanecerdes em mim e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito” (João 15.7).

Se você precisa mais que palavras e discursos de pessoas que nada podem fazer por você, então é só confiar n’Aquele que tem mais que palavras e alcançar a sua graça por meio da fé.

Comentários
×